Eliminando produtos químicos perigosos da nossa rede de fornecimento

 

Em 2012, nos comprometemos com o programa Descarte Zero de Produtos Químicos Perigosos (Zero Discharge of Hazardous Chemicals - ZDHC) e estamos trabalhando para eliminar substâncias químicas perigosas de nossa rede de fornecimento até 2020. Ao ajudar nossos fornecedotes a melhorar seus padrões, realizando testes em efluentes, e colaborando com toda a indústria para promover uma mudança em todo o sistema, podemos eliminar substâncias químicas perigosas de nossa rede de fornecimento. Em 2015, foram realizadas auditorias independentes de Gestão Sustentável de Substâncias Químicas em 52 fábricas. Mais 50 instalações de processos molhados serão auditadas em relação aos padrões da C&A e avaliadas quanto ao seu uso e manejo de produtos químicos perigosos até julho de 2016.

Como os produtos químicos são usados ​​para produzir roupas

Produtos químicos são usados ​​em todo o ciclo de vida dos nossos produtos, desde o cultivo de matérias-primas, como o algodão, até o uso do consumidor. A produção, tinturaria, lavagem e estamparia de roupas e o tratamento de tecidos para resistência contra fogo, odor, coloração, água ou rugas podem envolver o uso de produtos químicos.

A C&A — e outras empresas do setor — pode ajudar a reduzir o uso de produtos químicos perigosos por meio das seguintes medidas:

  1. Estabelecendo alternativas seguras em nosso processo de design e de pedidos.
  2. Apoiando fábricas a desenvolverem a infraestrutura e o conhecimento necessários para entender quais produtos químicos usar, como selecionar as melhores alternativas e como gerenciar produtos químicos com segurança em suas operações. 
  3. Engajando fornecedores de produtos químicos para que desenvolvam alternativas mais seguras e mantenham os produtos químicos perigosos fora do produto final e longe de vias fluviais.

 

Como administramos os produtos químicos em nossa rede de fornecimento

À caminho do descarte zero

A C&A é um dos membros fundadores da ZDHC—uma coalizão composta por 21 marcas globais de esporte, de moda e de produtos para uso ao ar livre que têm um compromisso comum de descarte zero de substâncias químicas na rede de fornecimento de têxteis e calçados. A C&A está trabalhando em seis áreas para gerar impacto:

  • Criando a Lista de Substâncias Sujeitas a Restrições na Produção (MRSL) e diretrizes de conformidade
  • Pesquisando alternativas para os produtos químicos na MRSL
  • Desenvolvendo um protocolo robusto de auditoria química
  • Melhorando a qualidade de efluentes
  • Sendo transparente com relação aos descartes no meio ambiente
  • Oferecendo treinamento e capacitação em fábricas

 

 

A última versão do Plano de Ação Conjunto do ZDHC oferece um esforço claro e estratégico para agilizar o programa, a fim de maximizar o impacto e as mudanças. Inicialmente lançado em 2011, o plano de ação define um caminho claro para eliminar os produtos químicos perigosos da rede de fornecimento até 2020. A última versão do Plano de Ação Conjunto pode ser encontrada aqui.  

 

Nós já eliminamos o uso de compostos perfluorados (PFCs) em todas as regiões, bem à frente do prazo de 2020 do ZDHC. Vamos continuar a divulgar a proibição de PFC em toda a nossa cadeia de fornecimento e, ao mesmo tempo, vamos trabalhar com fornecedores de produtos químicos para desenvolver alternativas mais seguras. As alternativas ao PFC atualmente aprovadas estão listadas aqui. Também vamos manter esta lista atualizada conforme trabalhamos em estudos de caso que vão ser publicados no SubsPort, o Substitution Support Portal. A proibição de PFCs é divulgada e controlada pela Lista de Substâncias Sujeitas a Restrições (RSL) e pela MRSL.

 

Recentemente atualizamos nossas políticas relativas à produtos químicos com a publicação da Política de Substâncias Químicas da C&A. Pela primeira vez, a RSL — regulamentando substâncias químicas no produto final — e a MRSL —regulamentando  substâncias químicas nos processos de fabricação — foram fundidas para simplificar a nossa mensagem e fornecer um padrão para nossa rede de fornecimento. Enquanto a RSL é focada na segurança do produto, a MRSL apresenta uma lista de substâncias químicas com uso intencional proibido pela rede de fornecimento e estabelece limites de concentração para substâncias presentes em formulações químicas. A MRSL vai além dos 11 grupos prioritários de produtos químicos que C&A se comprometeu a eliminar até 2020, e nós buscamos sempre atualizar a MRSL de acordo com uma abordagem cautelar, pelo uma vez ao ano. As diretrizes provisórias de conformidade com a MRSL podem ser encontradas aqui, com uma atualização prevista para o final de 2016. Quando estiverem disponíveis, vamos trabalhar com a nossa rede de fornecimento para fornecer o treinamento necessário para a implantação das diretrizes.
  

image
newborn collection

Meio ambiente limpo em nossa rede de fornecimento

bg-img
NOSSA META

 

Zero

descarte de produtos químicos perigosos.

NOSSA FORMA DE TRABALHAR
newborn collection

Em 2015, abordamos 

74%

do nosso volume de tecido nomeado na Europa, com o nosso programa de gestão sustentável de produtos químicos

 

Os fornecedores são fundamentais para a nossa estratégia global de gestão sustentável de produtos químicos

Essa é uma meta ambiciosa para nossa rede de fornecimento. Mas acreditamos que podemos fazer isso acontecer, trabalhando em conjunto com toda a indústria de roupas para que entendam nossa estratégia e por que ela é tão importante para a gestão ambiental e para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas.  Um passo importante foi o recente lançamento de nossa primeira estratégia de gestão global de produtos químicos, que demonstra passo-a-passo a forma como estamos orientando os fornecedores de processos molhados em Bangladesh, na China, na Índia e no Paquistão para que eles possam melhorar os seus sistemas de gestão de produtos químicos, adotar as melhores práticas e utilizar alternativas mais seguras. Em junho e julho de 2016, nós também vamos incluir as lavanderias e as estamparias à medida que expandimos o programa para incluir mais atividades de fabricação e mais três regiões - Brasil, Camboja e México.

Os dois componentes iniciais da estratégia envolvem a realização de testes em efluentes e uma auditoria de gestão sustentável de produtos químicos. O teste de efluentes é realizado para identificar quaisquer produtos químicos perigosos que estão sendo utilizados na rede de fornecimento. Já a auditoria avalia o nível de desempenho da gestão de produtos químicos no local. Ambos são essenciais para monitorar a implementação eficaz e os progressos relativos a nossa meta para 2020.

Como parte do nosso compromisso com o princípio Right to Know, publicamos dois relatórios:

  1. Wastewater Discharge Trend Report—Detalhando as análises realizadas em 47 fábricas de tecido com processo de efluentes, o que representa 74% da nossa produção de tecidos nomeados. O relatório, discriminado por ponto de amostragem e país, vai permitir que os stakeholders monitorem o progresso com relação ao nosso compromisso para 2020. 
  2. O Audit Findings Report—É um olhar abrangente sobre o desempenho da gestão local de produtos químicos da nossa rede de fornecimento através de 52 das nossas maiores fábricas de tecido, abrangendo 74% da nossa produção de tecidos nomeados. Ele identifica quais os tipos de problemas existem na rede de fornecimento. É a primeira vez que instalações de Nível 3 da rede de fornecimento foram auditadas; o nível de compreensão resultante da auditoria é muito maior com relação aos requisitos necessários até 2020. Quando compreendemos nosso desempenho, podemos seguir elevando os padrões e trabalhando em parceria com a nossa rede de fornecimento. Este relatório será atualizado publicamente para que o progresso possa ser analisado.       

Estes dois componentes abordam produtos químicos perigosos a nível do estabelecimento, ou seja, mesmo que os produtos químicos perigosos sejam detectados nos efluentes e seja verificado que se originaram na produção de outras marcas, ainda assim vamos dar suporte ao estabelecimento no processo de eliminação do produto para apoiar a 'abordagem de fábrica limpa'. 

Ao longo do caminho, estamos tendo o cuidado de adotar uma abordagem padrão para que os fornecedores possam fazer melhorias práticas. Isto inclui:

  • Criar sistemas eficazes de aquisição, gestão e descarte de produtos químicos.
  • Implementar o MRSL e ajudar os fornecedores a desenvolverem planos personalizados para cada fábrica a fim de eliminar progressivamente os produtos químicos perigosos.
  • Lançar um treinamento e um programa de desenvolvimento presencial para o fornecedor.
  • Realizar fóruns nacionais sobre produtos químicos sustentáveis com especialistas para discutir os desafios comuns e as melhores práticas.
  • Avaliar o local para verificar o desempenho e identificar oportunidades de melhoria.

Nossos clientes têm o direito de saber onde e como suas roupas são feitas

Com a publicação deste relatório, divulgamos os nomes e endereços de 850 de fábricas dos nossos fornecedores em 36 de nossos países de produção. A lista inclui as fábricas de corte e costura de nível um e fábricas verticalmente integradas. Até abril de 2017, incluiremos outros fornecedores, tais como fábricas de tecido, lavanderias e estamparias.  

A partir de maio de 2016, 76 das instalações de processos molhados que atendem à C&A divulgaram seus resultados de teste de efluentes na Plataforma de Divulgação DETOX do Institute of Public and Environmental Affairs (IPE). A divulgação inclui instalações em Bangladesh, na China, na Índia e no Paquistão e inclui 74% do nosso tecido proveniente de nossas fábricas de tecidos nomeados. Além da divulgação DETOX, também estamos trabalhando com o IPE para a avaliar nossa rede de fornecimento com relação a violações ambientais, incluindo efluentes, e solicitando às instalações uma resposta pública das ações corretivas sendo realizadas juntamente com prazos de implementação.

Nossa meta é que 80% das nossas instalações de processos molhados divulguem os resultados dos testes de efluentes na plataforma do IPE - até o terceiro trimestre de 2016;

  • 74% dos tecidos nomeados da C&A Europa
  • 50% das unidades de produção verticalmente integradas
  • 35% dos tecidos nacionais da C&A México
  • 46% dos tecidos nacionais da C&A Brasil
  • 30% dos tecidos nacionais da C&A China
  • 70% das lavanderias da C&A Europa

Até 2017, estamos comprometidos com a divulgação dos resultados de descarte de efluentes de;

  • 80% dos tecidos nomeados da C&A Europa
  • 90% das unidades de produção verticalmente integradas
  • 80% dos tecidos nacionais da C&A México
  • 70% dos tecidos nacionais da C&A Brasil
  • 50% dos tecidos nacionais da C&A China
  • 80% das lavanderias da C&A Europa

Vamos continuar desafiando a nós mesmos para alcançarmos a meta de 80% em todas as nossas instalações globais de processos molhados para todas as regiões; Europa, Brasil, México e China até 2018.

image
newborn collection

Melhorando os padrões de gestão de produtos químicos

bg-img
SOMOS UM DOS MAIORES USUÁRIOS DO
Higg Index 3.0

desenvolvido pela Sustainable Apparel Coalition

 

 

NOSSA FORMA DE TRABALHAR
newborn collection

O nosso compromisso com a indústria de produtos químicos levou as

24

empresas de produtos químicos a desenvolverem formulações compatíveis com a MRSL.  

Elevando os padrões onde os produtos químicos são mais utilizados

Em linha com o nosso compromisso com o ZDHC, estamos ajudando as unidades de processos molhados que atendem à C&A a controlar melhor seus produtos químicos. Reconhecemos que para gerar e sustentar mudanças bem-sucedidas, a nível industrial, precisamos de um plano estratégico claro. Nossa Estratégia para Gerar Mudanças define nosso caminho e os passos necessários para alcançar este objetivo.

Como resultado da nossa auditoria, estamos adaptando o apoio que oferecemos para cada fábrica, de acordo com seu nível de conhecimento e experiência. Desta forma, cada fábrica pode implementar o seu próprio plano de melhoria, com nosso apoio regular. Para ajudá-los ainda mais, vamos publicar problemas e soluções comuns em um novo Manual para a Gestão Sustentável de Substâncias Químicas.

Em 2016, o programa vai ser ampliado para outras 50 instalações. Nós somos um dos maiores usuários do Higg Index 3.0 da Sustainable Apparel Coalition, uma ferramenta piloto de mensuração que oferece uma abordagem holística para o desempenho ambiental. Ao compartilhar os resultados com todas as marcas, podemos ajudar a reduzir o número de auditorias necessárias na rede de fornecimento como um todo.

Pensando no futuro, vamos ajudar as fábricas a expressarem suas preocupações, vamos pedir para os fornecedores de maior sucesso mostrarem a outras empresas como eles se beneficiaram com as melhorias técnicas e vamos compartilhar nossas descobertas com a indústria. Nós também vamos começar a classificar nossos fornecedores, parcialmente com relação a capacidade de cumprir os nossos critérios de gestão ambiental e de substâncias químicas.

image

Trabalhando com a indústria de produtos químicos

Claro que a indústria de produtos químicos desempenha um papel importante na eliminação de produtos químicos perigosos e desenvolvendo alternativas mais seguras. Desde 2012, nós nos engajamos com os principais participantes da indústria na China, incluindo fornecedores, associações industriais e agências governamentais de produtos químicos. Este trabalho fez com que 24 empresas de produtos químicos distribuíssem listas de formulações positivas e declararem que seus produtos estão em conformidade com a MRSL. Essas declarações precisam ser avaliadas mais a fundo, mas estamos encorajados por este progresso e planejamos desenvolver isso em 2016.

Trabalhando para aumentar a conscientização, influenciar legislações locais e criar normas

No Brasil, percebemos uma grande oportunidade para estimular a indústria da moda a gerenciar os produtos químicos de forma mais responsável. Juntamente com a Associação Brasileira de Normas Técnicas, estamos desenvolvendo um padrão abrangente e voluntário, com prazo para 2017. Estamos participando do grupo de coordenação e compartilhando conhecimentos do nosso próprio trabalho na restrição e eliminação de substâncias perigosa em todo o mundo. A norma vai se basear em normas existentes e a lista de produtos abrangerá 80% das substâncias atualmente abordadas pelo ZDHC.
 
Na China, estamos trabalhando de perto com o China National Textile and Apparel Council (CNTAC), uma federação industrial que representa todas as indústrias relacionadas às áreas têxteis na China, sobre a forma de abordar a questão dos produtos químicos perigosos em toda a rede de fornecimento chinesa. Também trabalhamos para aumentar a conscientização com relação aos produtos químicos perigosos e temos apoiado várias conferências para os fornecedores chineses, além de, aconselhá-los sobre o desenvolvimento da plataforma Chemical Improvement Exchange  (CIE) que permitirá que as instalações de processamento molhado na China façam o upload de seus estoques de produtos químicas e façam a verificação cruzada com o nível de conformidade da MRSL. Também apoiamos o lançamento da Textile Sustainable Manufacturing Coalition (TexSMC); uma aliança para as empresas têxteis e os principais stakeholders da indústria têxtil chinesa para impulsionar a rede de fornecimento rumo à sustentabilidade.

Nós também apoiamos o diálogo com a China Dyestuff Industry Association que está trabalhando com os seus membros, juntamente com o ZDHC, com relação à integração do padrão MRSL.  
 
Em Bangladesh, nossa equipe local de Gestão Sustentável de Produtos Químicos fornece conselhos sobre o desenvolvimento das Normas e Orientações para a Gestão de Sedimentos que vão fornecer orientações sobre a forma de administrar e eliminar sedimentos perigosos. Este esforço diretamente fez com que o Bangladeshi Department of Environment buscasse atualizar a legislação local ultrapassada para a gestão de sedimentos em todo o país.    

 

Como a Economia Circular complementa nosso compromisso com Descarte Zero de Produtos Químicos Perigosos

Temos como meta para 2020 adquirir 100% do nosso algodão a partir de fontes mais sustentáveis, ​​que utilizam menos água e nas quais o uso de pesticidas e fertilizantes sintéticos é zero ou quase zero. Atualmente, 40% das nossas coleções feitas com algodão são produzidas com algodão mais sustentável usando Better Cotton Initiative (BCI) ou algodão orgânico. 

Além disso, estamos embarcando em uma viagem emocionante para criar uma economia circular na indústria de vestuário. Uma jornada que vai ver a eliminação da economia de criar, usar e descartar e o surgimento de uma economia que mantenha os recursos em uso por muito mais tempo, tanto quanto for possível. Vamos fazer uma parceria com a C&A Foundation para criar um centro focado em incubação e aceleração de tecnologias que suportam a economia circular na indústria de vestuário.  

newborn collection

Promovendo a gestão da água em nossa rede de fornecimento

Uso e proteção da água

Com as mudanças climáticas no mundo e o crescimento da população mundial, as fontes de água potável do planeta - que representam apenas 2,5% de toda a água - estão cada vez sob mais pressão. Mais de um bilhão de pessoas já vivem em áreas onde a água é escassa e, até 2025, dois terços da população do mundo poderá enfrentar escassez de água, de acordo com a Organização das Nações Unidas.

Na cadeia de valor de roupas, a água é usada principalmente em três áreas: no cultivo de matérias-primas, nos processos molhados de roupas quando os tecidos são tingidos e finalizados e na lavagem de roupas realizada pelos consumidores. Com uma pegada hídrica total da indústria estimada em 141 bilhões de metros cúbicos anualmente1, a nossa indústria precisa trabalhar em conjunto para reduzir o uso de água e proteger o abastecimento de água contra poluição.

Além disso, a água tem o potencial de ser mais impactada na produção de vestuários, devido ao escoamento de pesticidas do cultivo convencional de algodão e na produção e no tratamento de tecidos. Do consumo ao descarte, os recursos hídricos devem ser administrados de forma sustentável.

Leia mais sobre nossos projetos de produção mais limpa.

Compreendendo nossa pegada hídrica e desenvolvendo nossa estratégia para o tema água

A redução desses impactos é nossa principal estratégia hídrica corporativa, que está sendo desenvolvida agora em 2016. Começamos este trabalho em 2015, procurando compreender de forma profunda a extensão da nossa pegada hídrica do berço ao túmulo com a Aligned Incentives e nossas pegadas hídricas de matérias-primas com a Water Footprint Network.

newborn collection

Criando um sistema de produção mais eficiente

Otimizando os recursos e reduzindo os impactos

Investir em produção limpa pode economizar água, energia e carbono, mantendo os produtos químicos perigosos longe do meio-ambiente. Dois programas de produção limpa - o Better Mill Initiative (BMI) na China e a Partnership for Cleaner Textile em Bangladesh (PaCT) - também oferecem benefícios duradouros para os negócios de nossos fornecedores e o nosso próprio negócio.

Elevando o desempenho ambiental na China

A Better Mill Initiative é uma colaboração de três anos entre marcas globais de moda e a Solidaridad, uma organização sem fins lucrativos. Com o objetivo de melhorar a sustentabilidade entre as fábricas de processamento molhado em todo o Yangtze e o Pearl River Deltas na China, o projeto já conquistou economias impressionantes em seus primeiros 15 meses. O relatório do projeto está disponível aqui.

 

A C&A está envolvida com o projeto desde que ajudou a fundar a iniciativa em 2013. Hoje, estamos trabalhando com os cinco principais fornecedores para economizar água e energia, melhorar seus conhecimentos em gestão de produtos químicos, reduzir o desperdício, reduzir as emissões e melhorar a saúde e a segurança dos trabalhadores.  

 

 

2.6 milhões de M3

de água economizada

5.400 MWh

de energia economizada

4.000 toneladas

de produtos químicos eliminados

€5,5 milhões

economizados

 

 

 

As técnicas têxteis limpas economizam 175.500 toneladas de gases de efeito estufa a cada ano

 

 

Quase dois terços da água consumida em Bangladesh todos os anos é usada por unidades de processos molhados de têxteis para lavar, tingir, enxaguar e finalizar o tecido. As fábricas também podem afetar a qualidade e disponibilidade da água potável nas comunidades locais. 

 

O Bangladesh Water Partnership for Clean Textiles (PaCT) está comprometido com práticas sustentáveis, competitivas e mais limpas no setor de acabamento e de tingimento molhado. Lançado em 2013, este projeto de três anos reúne marcas mundiais de moda, tais como a C&A, associações industriais, instituições financeiras e líderes da comunidade para fortalecer a capacidade local. A C&A Foundation é uma das principais patrocinadoras.

 

Através do treinamento e do apoio local, o PaCT está introduzindo métodos de produção mais limpos para 52 fábricas que fornecem para a C&A. O programa ajuda as fábricas a terem acesso ao financiamento para investir em mudanças, que por sua vez são projetadas para pagar a si próprios em um curto espaço de tempo. Desde o início do projeto, o PaCT produziu resultados impressionantes para ainda mais melhorias ambientais:

 

 

14,2 milhões de M3

de água economizada por ano

10,4 milhões de M3

de efluentes por ano

175.500 toneladas

de gases de efeito estufa evitados por ano

€6,9 milhões

economizados para as fábricas participantes desde o início do lançamento

As medidas para uma produção mais limpa são fáceis de implementar e o retorno é muito rápido. Pretendemos implementar mais destas no futuro.

Mohammad Kawsar Alam Sikder, Gerente Geral, Fakir Apparels Ltd.

Melhorias ambientais em unidades de produção

Em meados de 2015, começamos a auditoria das unidades de produção do primeiro e do segundo nível com relação ao novo Código de Conduta, que referencia exigências ambientais. Para as unidades de produção que têm processos molhados, tais como lavar, tingir e estampar roupas, temos requisitos adicionais de resíduos e produtos químicos, que em alguns casos vão bem além das referências da indústria. As informações coletadas na auditoria são usadas para criar uma base comparativa e informar futuras metas e estratégias de melhoria.

Impactos ambientais identificados na nossa rede de fornecimento

BrasilEuropa e ChinaMéxico
Unidades de produção sujeitas a avaliações de impacto ambiental8611.6929
Unidades de produção identificadas como tendo impactos ambientais negativos significativos772271
Impactos ambientais identificados

Falta de ou não conformidade do certificado de gestão de resíduos

Falta de ou não conformidade da licença ambiental


Falta de programas comunitários ou ambientais

Falta de ou não-conformidade do programa de tratamento de efluentes para os resíduos da produção

Falta de licença da ANVISA

Falta de permissão para descarte de efluentes

Falta de programa ou iniciativa adequada para a eliminação dos resíduos de aparas de madeira

Falta de programa ou iniciativas adequadas para a eliminação das lâmpadas usadas

A maioria dos impactos ambientais negativos foram relativos ao manuseio, transporte e eliminação de resíduos.
Outras não conformidades com impacto significativo incluem o tratamento de efluentes ou emissões atmosféricas.
Falta de tratamento de efluentes

Banco Mundial, 2007

 

 

C&A logo

You have arrived at the English language version of this site.